quinta-feira, 7 de julho de 2011

Last thoughts on a life, last thoughts on a city

30/04/2011

"Povoei meu ser com imagens
Coletei cada caco de vidro nas ruas;
Os acolhi como a filhos
Até não saber mais seus nomes.
Hoje eles reclamam sua herança,
Mas já não há mais lugar"

07/07/2011

"Lágrimas em meio às caixas
O que elas levam, eu não sei.
As folhas que agora são lixo,
Já tiveram seu lugar.
O que é isso?
Diz, explica!
Que faz de cada olhar uma premissa
Cada chegada uma partida?
Não, não está escrito
A ninguém foi dito...
Está marcada na pele do homem,
Está em seus olhos,
Em suas mãos,
Pesando em seus ombros.
Assim mesmo, ele deve caminhar (...) "

Um comentário:

  1. Nossa que bom isso aqui!
    Nunca esconda mais nada assim, hein!

    ResponderExcluir